Pagine

Ouça a Rádio Navegantes

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

A casa assombrada em Três Palmeiras-RS

Mais uma história um tanto tenebrosa que acontece em Três Palmeiras-RS. Meu irmão Giovani e seu colega Junior dos Santos foram atender a um serviço em na Linha Pinheiro, no interior do município.
Era um antena parabólica que precisava ser calibrada, o serviço foi solicitado por telefone.
Foram os dois pela estrada conversando rumo a Vila Progresso, e depois pegaram rumo a Linha Pinheiro. Nenhum deles sabia exatamente onde ficava a casa, mas foram se baseando pelas informações repassadas por telefone.
Pega uma entradinha, cruza aquela outra, passam por um trecho em que  estrada parecia estar sendo engolida pela mata que crescia nas margens, causando ainda maior escuridão principalmente por se tratar de um final de tarde de inverno onde o sol se põe cedo.
E depois de cortar colinas finalmente do alto de um morro avistaram a casa que pensaram ser o local da assistência técnica solicitada. Ainda do alto avistaram um velho que caminhava no quintal com sua bengala admirando os pássaros e uma velhinha que varria o terreiro ao redor da casa. Na baixada do lançante passaram por mais uma curva encoberta pela mata onde a casa se perdeu de vista e mais 400 metros chegaram até a casa.
Quando o "bico" da Fiorino chegou no terreiro bem limpo ao redor da casa os "guris" não enxergaram mais o casal de velho, apenas a vassoura gasta pelo uso estava encostada em uma árvore.
Desceram, bateram palmas, chamaram e nada. Olharam ao redor da casa e nada, até que o Junior percebeu algo estranho. O terreiro estava limpinho, ainda com sinal de ter sido varrido naquele momento, mas a casa estava toda com sinal de "tapera". Com teias de aranha tomando conta das abas e oitões, um pé de guajuvira crescia em uma fenda que o tempo fez na área da casa.
Apesar de acharem muito estranho embarcaram os dois e resolveram ir adiante até encontrar mais moradores para pedir maiores informações.
O sangue correu agitado nas veias deles quando ao chegarem no local onde realmente era para ser feito o serviço os clientes ao ouvirem os relatos disseram que naquela casa morava sim um casal de idosos que nunca tiveram filhos, mas os dois já haviam sido mortos a muitos anos e desde então nunca mais ninguém morou no local. Eles ainda falaram que não foram os primeiros relatos dessas aparições, falaram ainda que o finado gostava de tocar gaita e em noites de pouco vento é possível ouvir de longe o som triste e abafado da velha gaita vindo da direção de onde ainda resiste ao tempo ruínas da velha casa.

OBS: Os causos que eu conto aqui, com minha assinatura, ou seja, os causos que acontecem em Três Palmeiras como esse por exemplo, contados por mim ou por algum amigo são uma mistura de ficção com realidade. Obviamente não são realidade total mas sempre tem um pingo de verdade no colorido da ficção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.