Pagine

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O presente para a irmã - Mensagem

Imagem: Jaciano Eccher
Propriedade Rural as margens da RS 324
Ronda Alta-RS
O homem por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída enquanto uma garotinha se aproximava da loja. Ela amassou o narizinho contra o vidro da vitrine. Seus olhos da cor do céu brilharam quando viu determinado objeto.
Ela entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesas azuis. Então, disse ao balconista:
– É para minha irmã, você pode fazer um pacote bem bonito?
O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e perguntou:
– Quanto dinheiro você tem?
Sem hesitar ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e disse:
– Isso dá, não dá?
Eram apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.
– Sabe, eu quero dar este presente para minha irmã mais velha. Desde que nossa mãe morreu ela cuida de mim e não tem tempo para ela. Hoje é seu aniversário e tenho certeza de que ela ficará feliz com o colar que é da cor dos seus olhos. (Continue lendo abaixo do vídeo)


O homem foi para o interior da loja, colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita azul.
– Tome, disse para a garotinha. Leve com cuidado.
Ela saiu feliz saltitando pela rua abaixo.
Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis adentrou a loja. Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e interrogou:
– Este colar foi comprado aqui?
– Sim senhora - respondeu o dono da loja.
– E quanto custou?
– Ah, o preço de qualquer objeto em minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente.
– Mas minha irmã tinha somente algumas moedas. E este colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagar por ele.
O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e devolveu à jovem dizendo:
– Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. Ela deu tudo que tinha.
O silêncio encheu a pequena loja e lágrimas rolaram pela face da jovem enquanto suas mãos tomavam o embrulho.
Leia Mais ››

Porque os homens dificilmente se estressam?

Veja porque os homens raramente se estressam por qualquer coisinha.

     ● Não engravidam.

     ● Os mecânicos não mentem pra eles.

     ● Rugas são traços de caráter.

     ● Barriga é prosperidade!

     ● Cabelos brancos são charme.

     ● Os sapatos não lhes machucam os pés.

     ● As conversas ao telefone duram apenas 30 segundos.

     ● Para férias de 5 dias, precisam apenas de uma mochila.

     ● Se outro aparecer na mesma festa usando uma roupa igual, não há nenhum problema.

     ● Cera quente não chegam nem perto.

      ● Se alguém se esquece de convidá-los para alguma festa, ainda assim vai continuar sendo seu amigo.

     ● Sua roupa íntima custa no máximo 20 reais (em pacotes de 3).

     ● Três pares de sapatos são mais do que suficientes.

     ● São incapazes de perceber que a roupa está amassada.

     ● Seu corte de cabelo pode ser o mesmo durante anos, aliás, décadas.

     ● Os shoppings não fazem falta para eles.

     ● Se um amigo chamá-lo de gordo, careca, etc, isso não abala em nada a amizade deles. Aliás, é prova de grande amizade.

     ● Para um churrasco, precisam de carne, sal grosso, uma faca, uma tábua e, no máximo, uma bermuda para limpar os dedos.

Leia Mais ››

terça-feira, 29 de novembro de 2016

O aleijado da fazenda - Causo de Galpão

Havia na estância da Timbaúva, no Rosário, um cemitério de campanha abandonado. Era mui antigo, todo cercado de pedras. Moradia de lagartos e tatus-peludos, que ali faziam suas tocas. Ficava no fundo de uma invernada. Ninguém ia lá. Na estância tinha um peão aleijado. Num aparte de rodeio levou uma rodada braba. Ficou paralítico. O dono da estância, um velho por nome Tibúrcio, deu-lhe o galpão para morar e bóia para o resto da vida. O aleijado se arrastava no galpão, apoiado num pau de mato com feitio de muleta. Fazia fogo e cevava mate para a peonada. Saía no pátio com muita dificuldade; só para as necessidades, meio que se arrastando.

 Duma feita chegaram uns birivas de Cima da Serra, vendendo erva numas bruacas em lombo de mulas. Pediram pouso e se acomodaram no galpão. O chefe da comparsa era mui falante. Viu o aleijado e falou: - O senhor nunca tentou se curá? O aleijado respondeu: - É, seu! Não vê que não tem cura, não é? – Não tem cura de dotor, mas de benzedura... O aleijado se animou. – O senhor conhece alguma? – Se conheço? É um porrete! Não tem cemitério perto? – Tem. Fica na invernada do fundo. – E a distância? – Uma meia légua, mais ou menos. – Bueno! O senhor tem que ir no cemitério à meia-noite, numa sexta-feira. Da porta do cemitério conta sete passos. Na primeira sepultura que topá reza treis padre-nosso e treis ave-maria. É como tirá com a mão! Garanto que vai caminhá. 

O aleijado ficou assuntando, esperançado. Depois falou: - Podem me levá na carrocinha da pipa. É que eu não posso andá. – Não – disse o biriva -, de acavalo ou carroça não pode. Tem que ir andando ou outro pessoa levá de a pé. Saltou um índio grande, mui disposto, com fama de forçudo e valente, que se chamava Manecão. – Tchê! Não tem perigo. Eu te levo na cacunda, na primeira sexta-feira. Fiou tudo acertado. 
Nesse meio tempo andavam roubando ovelha na estância. O velho Tibúrcio tinha comprado uma canonada mui gorda, para munício. Estavam encerrados numa invernadinha, perto do cemitério velho. Tudo bem fechado. Cadeado com corrente na porteira. Aramado novo, de lei, com oito cordas, mais esticadas do que prima de guitarras. O diabo é que faltavam dois ou três capões por semana. O velho mandava rondar: não pegava. Mas tavam roubando! A entrada da estância também a sete chaves. Não tinha rastro. Ninguém entrava a cavalo de noite. Tinha que ser gente! Mas quem? Era um mistério. E o roubo continuava. O causo era que um casal é que roubava do velho Tibúrcio. Como? Simples. O homem e a mulher, de noite, entravam na estância a pé; se acoitavam no cemitério. A mulher ficava escondida. O homem pulava a cerca da invernadinha, agarrava um capão à unha, trazia no lombo para o cemitério; e ali carneavam. Botavam numa bolsa e enterravam o pelego nas covas dos tatus; se mandavam para o rancho. Nunca ninguém ia descobrir! 

Nesse meio tempo chegou a sexta-feira. Noite escura como breu; não se enxergava nem a ponta do nariz. O Manecão, conforme o prometido, agarrou o aleijado, botou na cacunda e se tocou para o cemitério. Nessa noite, por um acaso, o casal foi roubar mais um capão. Chegaram ao cemitério; e, como sempre, a mulher se escondeu atrás de um túmulo. O homem foi agarrar o capão, na invernadinha. Nesse entre tempo chegou o Manecão, com o aleijado no ombro. A mulher pensou que fosse o marido com o capão; saiu de repente de trás do túmulo, com um vestido branco e falando com uma voz meio cavernosa. Meteu a mão na bunda do aleijado (pra quem não sabe para saber se o capão é gordo pega-se no tronco do rabo) e disse:

 - É gordo, né meu veio! 

Pra quê! O Mancecão largou o aleijado de golpe do chão e saiu direito à estância que era uma bala. Quando chegou no galpão, com a língua de fora e os olhos arregalados, deu de cara com o aleijado que já estava lá e já tinha tomado uns dois ou três mates, para acalmar a tremedeira. Diz que cruzou arame de seis fios no peito e correu na flor d’água do açude; que o milagre se fez e ele ficou curado, pra sempre!

Fonte: Bombacha Larga.
Leia Mais ››

O Catador de Papel - Mensagem

Com essa mensagem podemos tirar três conclusões.

Primeiro - Nunca despreze seu próximo, você nunca sabe de quem vai precisar.
Segundo - Todo trabalho é digno se feito com amor, não reclame do seu trabalho, se tens um já é motivo para agradecer quando muitos não o tem.
Terceiro - Nunca escolha aquilo que chega fácil até você, tudo o que vem fácil também vai embora fácil. Trabalhe, o trabalho dignifica o ser humano. O sabor da conquista quando for fruto de seu trabalho tem um sabor muito melhor.
Leia Mais ››

Você sofre com cachorro de rua ou dos vizinhos? O teu problema pode acabar agora

Bom gente eu sofri tanto com cachorro de rua que estou até com medo de abrir a boca e o problema voltar a acontecer por ter resolvido recentemente, Mas vou relatar um pouco do meu sofrimento antes de contar a solução.

Todas as manhãs eu acordava e me deparava com uma cena muito deprimente, exatamente em frente a meu portão sacolas de lixo esparramada, mas quando digo todos os dias eu não estou exagerando. No começo até cheguei a pensar que fosse ser humano por maldade que estava tentando me aborrecer mas logo descartei a possibilidade.

Mas enfim, tentei um pouco de tudo, fiquei de plantão "amoitado" literalmente, não funcionou. Depois coloquei um pano branco pendurado próximo ao portão na tentativa de assustar, o que fez com que o cão só se afastasse a uns 3 metros para deliciar-se com seu "lanche". Cerquei com eletricidade a frente do portão, sem sucesso, o cão espalhou seu lixo logo após a cerca e eu tinha o trabalho toda manhã de abrir e desativar a "armadilha", Até que no desespero tentei a última alternativa, antes de dizer qual foi, digo aqui se alguém se compadeceu com os cachorros de rua é só passar la na minha rua pegar eles e levar pra sua casa, tenho certeza que a vizinhança vai ficar feliz,  quero deixar bem claro que adoro os animais e não gosto de maltrata-los, a prova que seria bem mais fácil ter colocado veneno no lixo e ter feito uma crueldade, mas isso não me passou pela cabeça nem nos momentos de raiva, mas ninguém merece acordar todos os dias tendo que recolher lixo dos outros, sim porque o maior culpado é o ser humano que é muito relaxado e coloca o lixo na rua a noite ao invés de esperar pela manhã, bem mas vamos a solução.

A Solução.

Depois de tanto sofrer, gravei uma faixa de alta frequência e todas as noites um rádio escondido próximo ao portão (local do problema) reproduzia continuamente essa faixa com frequência oscilante de entorno de 20 khz e 25 khz.

A Explicação.

Alguns animais como ratos, cachorros, morcegos e outros tem a audição muito sensível, e conseguem ouvir pequenos ruídos mesmo que a distância, ao passo que o ouvido humano não consegue ouvir frequência acima de 20 khz.
Por esse motivo você não precisa deixar muito alto o som do rádio caso queira fazer o mesmo, abaixo deixo o áudio que usei para você ouvir ou baixar, mas antes disso por favor se for reproduzir baixe o volume porque a faixa contém também som audível aos nossos ouvidos. O começo da faixa que você quase não ouve é a que mais incomoda os animais, é ali que está a frequência mais alta.

Conclusão.

A alta frequência não mata, ela apenas afasta esses animais, mais uma vez quero deixar bem claro, NÃO MALTRATE OS ANIMAIS.
E para concluir, NÃO FAÇA ISSO se você tem animais de estimação em casa ou próximo a sua residência, no meu caso o vizinho mais próximo mora a uma distância que o som não afetou os animais deles.

Baixar ou ouvir a faixa de áudio.
Leia Mais ››

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Veja o Primeiro voo de uma Pomba Juriti - Natureza

A natureza é mesmo incrível, está sempre nos presenteando com lindas imagens, basta que estamos sempre atentos. Lembra que dias atrás eu postei uma mensagem chamada "A riqueza e a Pobreza"? (clique aqui para ver), a imagem de fundo dessa mensagem foi de uma "Mamãe Juriti" orgulhosa de seus ovos, veja agora como estão seus filhotes. O detalhe que fiquei triste, pois já tinha feito amizade com "Mamãe Juriti", me senti um pai que vê seus filhos crescerem de tomarem seus próprios caminhos.
 
Leia Mais ››

Gaúcho no restaurante francês - O que você faria?

Você está num restaurante com nome francês. O cardápio é todo escrito em francês. Só o preço está em reais, muitos reais.

Você pergunta o que significa o nome de um determinado prato ao maitre. Você tem certeza que o maitre está se segurando para não rir da sua pronúncia. O maitre levará mais tempo para descrever o prato do que você para comê-lo, pois o que vem é uma pasta vagamente marinha em cima de uma torrada do tamanho aproximado de uma moeda de um real, embora custe mais de 50.

Você come de um golpe só, pensando no que os operários são obrigados a comer. Com inveja. Sua acompanhante pergunta qual é o gosto e você responde que não deu tempo para saber.

O prato principal vem trocado. Você tem certeza que pediu um "boeuf à quelque chose" e o que vem é uma fatia de pato sem qualquer acompanhamento. Só.

Bem que você tinha notado o nome: "Canard Melancolique". Você a princípio sente pena do pato pela sua solidão, mas muda de idéia quando tenta cortá-lo. Ele é um duro, pode agüentar. Quando vem a conta, você nota que cobraram pelo pato e pelo boeuf que não veio.

O que você faria? (comente aqui em baixo)

1 - Paga assim mesmo para não dar à sua acompanhante a impressão de que se preocupa com coisas vulgares como dinheiro, ainda mais o brasileiro?

2 - Chama, discretamente, o maitre e indica o erro, sorrindo para dar a entender que, "merde", "alors", estas coisas acontecem?

3 - vira a mesa, quebra uma garrafa de vinho contra a parede e, segurando o gargalo, grita: "Eu quero o gerente e é melhor ele vir sozinho!"?
Leia Mais ››

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

No confessionário.... Piada

O cara chega no confessionário e ja vai dizendo.
- Padre eu pequei 6 vezes e preciso teu perdão.
- Seis vezes?
- É padre ei traí minha mulher.
- Sim, mas isso é um erro e não seis, e por sinal muito grave.
Bem veja o vídeo para conhecer essa piada.
 


Leia Mais ››

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Nas andanças por ai...

Essa postagem não é de piada, nem de Causos de Galpão, nem mensagem, nem música, e muito menos Causos de Assombração, nada que costumo publicar aqui.
Quero publicar três imagens (esqueça o cabelo despenteado de motoqueiro) que tirei agora mesmo pela manhã.
Dia 8 de fevereiro de 2017 vai completar 5 anos que estou trabalhando na Rádio Navegantes de Ronda Alta, e nessa estrada você vê e vive um pouco de tudo.
A algumas semanas coincidentemente no horário que venho para o trabalho ou eu alcanço ou ele me alcança, o mais novo motoqueiro amigo que conheci, Jota Junior, Cada qual em sua moto branca, isso se repetiu por várias vezes e então por tanta coincidência isso merece uma foto, então cá estão três.




Leia Mais ››

O "bicho" intocável - Causos de Assombração

Algo que se perdeu com o passar dos anos são os causos de assombração, assim como a crença em bruxaria, feitiçaria acabou se perdendo com o cair das folhas das árvores com o soprar do Minuano em cada inverno. Mas quero contar aqui um causo que ouvia quando criança os mais velhos contar:

O bicho intocável

A cerca de 50 anos atrás, quando um primo de meu pai e seus amigos iam para a escola em uma noite escura como breu, contam que mal podia se enxergar, era tão escuro que para não sair da estrada era preciso se basear pelas barrancas e arvores na beira da estrada vistas contra o céu, e assim eles seguiam rumo a escola, sem lanterna e nem nada pois em tempos antigos não era "qualquer cu" que disponha de conforto.
Até que a uma certa altura da estrada todos viram um vulto ainda mais escuro do que a noite, algo que eles não conseguiam explicar a si próprios de que se tratava, parecia um cachorro, ou outro animal qualquer desse porte mas não tinha como saber por ser muito escuro. Aquele vulto preto vinha pela estrada de encontro a eles, cada vem mais próximo, cada vez mais próximo até que quando ia bater no primo do meu pai, esse de imediato tratou de chutar o animal para defender-se pois ainda acreditava tratar-se de um cachorro, mas para sua surpresa e surpresa de todos que o acompanhavam a perna dele atravessou o vulto como se fosse transparente ou intocável. Os amigos apenas se olharam mas ninguém teve coragem de abrir a boca e comentar o que acabaram de ver, começaram então a correr e só pararam quando encontraram as luzes da pequena cidade.

Escrito por: Jaciano Eccher
Leia Mais ››

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Histórias de Assombração - Causos de Galpão

Quando tem uma roda de mate ou cachaça, no cair da noite na costa de um rio, a coisa que a gauchada mais gosta de fazer é contar causos de assombração. Semana passada, escutei um que me deixou arrepiado - e diz que foi lá no Alegrete.
O seu Arnóbio cuidava do Campo Santo, como a indiada chama o cemitério lá na fronteira, e começou a escutar uma batidas de ferro na pedra. Como já era tarde da madrugada, ele foi devagarinho até o muro e viu que tinha um Nego Véio batendo com uma talhadeira e um martelo na frente de um túmulo.
Seu Arnóbio, que não era de se assustar, subiu no muro e perguntou:
"Trabalhando a essa hora, Nego Véio?"
Ele respondeu:
"Não. É que escreveram meu nome errado na lápide e eu estou só corrigindo!"
Por via das dúvidas, o Arnóbio véio saiu correndo campo afora! Uns dizem que é mentira, mas ele jura que foi verdade. Coisas de Nego Véio até em outra vida.
Neto Fagundes!
Leia Mais ››

As faculdades que a campanha ensina - Causos de Galpão

Veja alguma coisa que essa  lida campeira ensina pra gente, é a verdadeira faculdade de campanha.
 


Leia Mais ››

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Alguns provérbios. Ou seriam "controvérbios"?

Olha gente, provérbios todos conhecemos, hoje resolvi trazer uma lista do que apelidei de " Controvérbios".

- Os últimos serão os piores!

- Quem espera tem que aguardar.
- Quem não tem cão não caça.
- Quem ri por último tem raciocínio lento.
- Quem semeia ventos fica despenteado.
- Quem tem boca vai ao dentista.
- Em terra de cegos ninguém vê nada.
- Há males que vêm para o pior.
- Quem cedo madruga, passa o dia com sono.
- Se a montanha vem até você, foge. Trata-se de um desmoronamento.
- Duas palavras abrem qualquer porta: puxe e empurre.
- A esperança e a sogra são sempre as últimas que morrem.
- O trabalho é sagrado, não o toque.
- Espelhos deveriam pensar duas vezes antes de refletir.
- No avião, o medo é passageiro.
- Os últimos serão... Desclassificados
- Gato escaldado... Morre.
- Quem tem boca vai a Roma. Meu fogão tem quatro e não saiu da cozinha.
Leia Mais ››

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A Riqueza e a Pobreza - Mensagem

Como é linda a natureza né? Observando uma pomba Juriti em seu ninho dia desses e pesando no quanto a vida nos oferece de bom, pensando em quanto rico nós somos e não sabemos, resolvi fazer umas simples e lindas imagens que você vê enquanto acompanha uma pequena mensagem que fala sobre riqueza e pobreza.



Leia Mais ››

Surungo - Dicionário Gaúcho

"Num galpão de pau-a-pique
Chão batido bem molhado
Um surungo bem largado
Ao costume missioneiro
Num canto o velho candeeiro
Faz que se apaga e se acende
Que até parece que entende
Bailando a o som do gaiteiro"

Esse é um pequeno trecho da música Surungo de Candeeiro de João Luiz Correia, então acho que quem não sabia já sabe o seu significado, mas enfim, vamos a definição.

Surungo - Baile, Bailanta, Festança, Arrasta pé.
Leia Mais ››

O Gaúcho na Ilha - Causos de Galpão

Veja mais um Causo de Galpão que gravei pra você na manhã dessa segunda feira dia 21 de novembro, o causo foi enviado em forma de texto por Carlos Casal, envie também seu Causo de Galpão pra gente.

Depois de dez anos vivendo sozinho em uma ílha o Gaúcho está  longe da cachaça, do chimarrão, de mulheres então eis que um dia surge uma mulher. Eu disse uma mulher? Errei. "A mulher", pensa num mulherão... E multiplica. bem o resto do causo você vai ter que ver assistindo o vídeo abaixo:
Leia Mais ››

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

O cavalo que falava e tomava cerveja - Causos de Galpão


Lá na campanha é costumeiro depois de um dia de lida, a tropa se juntar nalgum bolicho de beira de estrada pra botar a conversa em dia e contar alguns causos – principalmente causos de assombração -, 1, 2, 3, 4 causos e já tem gente com medo da própria sombra…

Foi num dia desses que no bolicho do Gaiola, entre um causo e outro, sentiu-se um redemoinho de vento abrindo a porta do bolicho, e dele saiu um cavalo zaino que de tão bonito chegava a luzir… O cavalo largou um ” – Buenas!” e sai em direção ao balcão – Todo mundo que já andava meio assustado pelos causos, foram entrando pelas golas dos ponchos – chegou em frente ao bolicheiro e cuspiu um ligeiro:

– ME DÁ UMA CERVEJA!

O bolicheiro pôs a mão no seu revolver .44 que estava em baixo do balcão, mas… resolveu abrir uma cerveja com a outra e entregou ao cavalo, que segurou a garrafa nos dentes e bebeu de soco.

– ME DÁ OUTRA CERVEJA, BEM MAIS GELADA QUE ESSA!

O bolicheiro se assustado com o gosto do cavalo, atendeu ao pedido… Novamente o zaino segurou a garrafa e meteu goela abaixo, e em seguida disse:

– CHE, QUANTO DEU?

O velho gaiola, num sopro de coragem respondeu:

– 20 PILA… DEU 20 PILA!

O zaino foi se indo pra porta e o bolicheiro se obrigou a limpar aquela história:

– CHE, EU HERDEI ESSE BOLICHO DO MEU PAI QUE HERDOU DO PAI DELE… E… E… NUNCA SE VIU UM CAVALO FALAR, MUITO MENOS BEBER CERVEJA! TU É O PRIMEIRO!

O zaino já negaceando com a cabeça respondeu:

– PELO PREÇO DA CERVEJA… PRIMEIRO E ULTIMO!
Leia Mais ››

Puta dor de dente - Causo de Galpão

Coisa triste é dor de dente não é verdade? Então você vai rir muito com esse causo de galpão!
A mulher acorda com uma dor de dente terrível e começa o dia enchendo o saco do marido para que a levasse ao dentista, o cara mais grosso que parafuso de patrola vai logo.... Bem veja o vídeo.
Compartilhe com os amigos que se identificam de alguma forma com o causo.

Se tiver alguma piada para nos enviar clique na aba "contato" logo acima.
Leia Mais ››

Tunda - Dicionário Gaúcho

Olha piazinho que te dou uma tunda se você não me trazer esses gravetos agora mesmo, e de lambuja pega também sabugo pra começar o fogo.
Essa frase se você é gaúcho te arrepiou até o último fio do bigode. Pois vamos logo a definição da palavra tunda antes que os direitos humanos interfiram nessa postagem.

Tunda - Surra

Leia Mais ››

Lambuja - Dicionário Gaúcho

"E de lambuja permita que eu nunca saia daqui". Esse sem dúvida é a frase que vem em mente quando falamos em lambuja, essa frase é da linda música "Guri" dos compositores João Batista Machado e Julio Machado da Silva Filho e cantada por vários cantores do acervo gaúcho.
Vamos a definição:

Lambuja - Aquilo que se ganha além do combinado; vantagem extra, geralmente gratuita e inesperada; brinde.
Leia Mais ››

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

O que você precisa para ser feliz?

A mensagem de hoje é Homilía do papa Francisco, homem simples, de coração puro e com uma inteligência incrível, afinal todos buscamos a felicidade, buscamos desesperadamente ser feliz e muitas vezes não nos damos conta que a felicidade está nas pequenas coisas. Bom, mas ouçamos no vídeo abaixo o que ele tem para nos dizer.

Leia Mais ››

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Guela - Dicionário Gaúcho

Se você é gaúcho ou pelo menos sul brasileiro, você já disse ou ouviu dizer "Guela".

Não? Nem me venha se fresquiar que eu sei que tua mãe mesmo já te chamou de "gueludo" quando você gritava xaropiando por comida!!
Pois então, agora que você admitiu então vamos juntos explicar para quem não sabe:

Guela - Garganta, Goela.
Gueludo - Pessoa que fala muito alto, irritante.
Leia Mais ››

Se fresquear - Dicionário Gaúcho

Chê! Mas porque você está te fresqueando tanto e até agora não segue meu blog e nem minha página no Facebook?
Se bem que ficar me seguindo é coisa de fresco também, mas eu nem dou bola.
Então para de te fresquear e vamos logo a explicação, vamos tentar traduzir isso para o português, que assim as pessoas adiante da fronteira da nossa região sul pode entender.

Se fresquear - Se fazer de desentendido, dar uma de delicado.

Fresco- Pessoa desentendida, aquele que se faz de porco vesgo pra comer em dois coxos, Fresco também pode ser aquele vivente delicado, que faz nojo pra tudo.

Leia Mais ››

Xaropiar - Dicionário Gaúcho

Para de xaropiar aí nas redes sociais e posta logo algo de fundamento como essa postagem.

Eita vivente xarope! Começa cedo xaropiando a prenda pra fazer o café, depois xaropeia com o chefe que atrasou o salário.
E então já sabe o quer dizer xaropiar né? Mas vamos a definição:

Xaropiar- Encher o saco, tirar a paciência de alguém.
Xarope - A pessoa que vive enchendo o saco de todos
Leia Mais ››

Um milhão e Seiscentos mil visualizações

Atingimos a marca de 1.600,000 visualizações nesse dia 16 de novembro de 2016, pra você que é visitante novo em meu blog, aqui você diariamente vai encontrar, mensagem de reflexão, piadas, músicas, causos gaúchos, os chamados "Causos de Galpão", o tal do dicionário gaúcho e muito mais, enfim, um pouco do meu trabalho nas rádios e no mundo da música.

Mas pra você que tem acompanhado desde as primeiras postagens deste blog deve estar se perguntando. "Mas ele começou a poucos dias, como pode ter tantas visualizações? Deve ser montagem".
Pois bem, clique aqui e vamos a explicação.

Leia Mais ››

Você sabe o que é prosopagnosia? - Faça o teste aqui pra ver se você tem.

Hoje resolvi falar um pouco sobre PROSOPAGNOSIA uma falha no cérebro que eu tenho e descobri a um certo tempo. Abaixo contarei um "mico" que paguei por causa disso.

Você tem dificuldade em memorizar fisionomias? Para lembrar do rosto de uma pessoa é o maior sacrifício pra você? Já cometeu uma gafe de cumprimentar a mesma pessoa duas vezes em um curto espaço de minutos? Já confundiu alguém? Então você pode sofrer de prosopagnosia, conheça um pouco sobre ela.

Prosopagnosia em grego: "prosopon" = "cara", "agnosia" = "incapacidade de reconhecer (também conhecida como cegueira para feições) era, até muito recentemente, tratada como uma desordem rara da percepção da face, na qual a capacidade de reconhecer os rostos está danificada, embora a de reconhecer objetos pudesse estar relativamente intacta. As pesquisas recentes, porém, sugerem que 1 em cada 50 pessoas (2% da população) sofre da desordem em algum grau, e acredita-se que seja hereditária. Até recentemente a desordem estava associada somente a alguma lesão cerebral ou a doenças neurológicas que afetam áreas específicas do cérebro, embora os casos de prosopagnosia congênita ou desenvolvida estejam sendo relatados com frequência crescente.

Poucas terapias desenvolvidas foram bem sucedidas com pessoas afetadas, embora os indivíduos aprendessem freqüentemente a usar estratégias de reconhecimento como identificar as pessoas característica por característica . Esta estratégia pode envolver indícios secundários tais como a roupa, a cor do cabelo, a forma do corpo, e a voz.

Devido ao fato da face funcionar como uma característica de identificação importante na memória, pode também ser difícil para pessoas nesta circunstância manter-se a par da informação sobre pessoas, e se socializarem normalmente com outras. Segundo pesquisas no campo das Neuro-ciências, a área responsável pelo reconhecimento de faces encontra-se no Lobo Occipital, em uma região chamada área fusiforme da face. Nota-se que pessoas que possuem comprometimento nesta região, apresentam incapacidade do reconhecimento facial, mesmo quando este é familiar.


Depoimentos de pessoas com prosopagnosia.


Minas Gerais, férias de verão. A produtora de moda Mônica, de 24 anos, está com um amigo numa lanchonete quando chega outro jovem. Ela o cumprimenta polidamente. Meio espantado, o amigo pergunta: “Mônica, você não se lembra do Marcelo?” Ela não consegue reconhecer o tal Marcelo, que dá um sorrisinho constrangido. Era seu ex-namorado. São Paulo, Hospital da Unifesp. O médico Rodrigo Schultz, de 25 anos, está trabalhando no setor de neurologia. Até que chega uma paciente se queixando de um estranho problema. Schultz mostra uma foto à paciente e pergunta: “Quem é esta mulher?” A paciente não sabe responder, mas a pessoa em questão era ela mesma. Nos dois casos, o diagnóstico foi o mesmo: prosopagnosia, uma estranha doença que torna o cérebro incapaz de identificar rostos.

Eu mesmo (Jaciano Eccher) já paguei muitos micos devido a prosopagnosia. Quando comecei trabalhar aqui na Rádio Comunitária Navegantes de Ronda Alta no dia 8 de fevereiro de 2012 fiquei meu primeiro dia de trabalho a manhã toda com a então locutora Paula Ferreira para pegar os macetes aqui da rádio já que o sistema de trabalho era diferente do sistema usado na Rádio Liberdade de Três Palmeiras a qual trabalho também, bom, mas voltando ao assunto, no dia seguinte quando eu chego na rádio vi que tinha uma loira com óculos de grau sentada na cadeira do estúdio lidando no computador, eu quando ví aquilo pensei comigo mesmo. " Sacanagem do Professor Valério Bernardi ( Meu chefa na época) , eu não devo ter passado no teste e ele nem pra me avisar...." Até que em cima da hora de começar o programa ele, o meu chefe chegou e sento do meu lado perguntando se eu tinha gostado do trabalho e tal, eu respondi que sim, ficamos mais alguns minutos em silêncio e ele então falou: "Quando quiser passar no estúdio com a Paula, fique a vontade!"
Quando eu ouvi o nome "Paula" fiquei aliviado. Ufa! Detalhe, no dia anterior ela não estava usando óculos, foi o suficiente para que eu não conhecesse ela, imagina então se fosse óculos escuros.

Eu poderia escrever um livro com tantos causos desse tipo que me aconteceu mas não vou me estender muito por hoje, quem sabe numa próxima eu conto outras...

Clique aqui para saber mais e fazer um teste que pode detectar se você sofre de prosopagnosia, se você se encaixou em algo comente aqui no blog essa postagem.


Postagem Jaciano Eccher.
Leia Mais ››

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Olhar de revesgueio - Dicionário Gaúcho

Se você é gaúcho com toda certeza já ouvir a expressão "olhar de revesgueio".
- " E o cara olhando de revesgueio falou!"
- " Porque me olhas de revesgueio vivente?"
Bem, vamos a definição.
Olhar de revesgueio significa olhar atravessado, meio de lado, pode até ser por motivo de desconfiança ou coisa parecida.

Tem uma dica? Quer que postamos uma palavra? Pode comentar aqui embaixo, ou mandar um email para jacianoradiojornalismo@hotmail.com
Leia Mais ››

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Algumas curiosidades sobre o chimarrão que você não sabia

Em uma outra postagem colocarei os dez (10) mandamentos do chimarrão mas hoje vamos trazer algumas curiosidades que possivelmente você não sabia, e a primeira delas é o 9º Mandamento do mate que diz respeito ao primeiro mate.

Não condenes o dono da casa por tomar o primeiro mate.
Todo aquele que fecha um mate (faz o mate) deve tomar o primeiro em presença do parceiro ou na roda de mate.
Este fato tornou-se tradicional devido a épocas remotas em que o mate serviu de veículo para envenenamentos. Por isso, o ato do mateador tomar o primeiro indica que o mate está em condições de ser tomado.

Cevar o mate com cachaça.
Algumas pessoas quando fecham um mate (ato de preparar o mate), costumam, em lugar de água para inchar a erva, colocar cachaça, pois a cachaça fixa por mais tempo a fortidão da erva-mate, sem deixar o gosto do álcool. Este modo de preparar serve tanto o mate amargo (chimarrão) como para o mate doce.
A cachaça é só para iniciar o mate. Uma vez inchada a erva, cospe-se fora a infusão até roncar bem a cuia, esgotando-se completamente o líquido. Depois desta operação, é só seguir cevando normalmente, com água, o mate.

A temperatura da água.
A água para o mate nunca deverá ser fervida, pois se tornaria pesada, pela perda de oxigênio, transmitindo um sabor diferente ao mateador. O ideal é quando a água apenas chia.

A ordem de servir o mate.
No ato de encher o mate, pega-se a cuia com a mão esquerda e o recipiente com a direita. Após, acomoda-se o recipiente e se troca a cuia de mão para matear ou oferecer o mate, seguindo-se, sempre, pelo lado direito, o lado de laçar.
O sentido da volta na roda de mate deverá partir pela direita do cevador ou enchedor de mate.


Leia Mais ››

O bêbado na blitz policial - Piada

Mais uma piada de bêbado pra você, marque no Facebook o(s) seus(s) amigo(s) que se identifica(m) com essa piada:




Leia Mais ››

Pai Nosso das Flores - Mensagem do dia

Uma oração muito conhecida, a oração que o próprio Jesus Cristo nos ensinou com uma variação de palavras ficou muito linda, resolvi chamar aqui de Pai Nosso das Flores, recebi de minha namorada o texto por Whatsapp e resolvi publicar aqui. Confira:

Leia Mais ››

sábado, 12 de novembro de 2016

Zoom do Zé Rico - Música em homenagem a José Rico

Veja que linda música Fátima Leão fez para José Rico depois da sua morte. Não tem como não se emocionar, se você gostou clique aqui porque então vai gostar dessa.
 
Zoom do Zé Rico
Baixe essa música clicando aqui!

Um coração parou
E uma ave parou de cantar
O país assustou
E não teve idade pra chorar.

O céu ficou em festa
A Terra entristeceu
A voz que se calou pra nós
Foi cantar no ouvido de Deus

O sertanejo nunca morre
Porque deixou sua raiz
Nessa longa estrada da vida
Não tem como parar
Se o povo pede bis.

Uma garganta de ouro
Eterno tesouro
Pra sempre um mito
Cada lágrima que derramou
De um fã que chorou
É um zum do Zé Rico

Leia Mais ››

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Os cupins na praia - Causos de Galpão

Você pode também ouvire baixar esse Causo de galpão clicando aqui:

Falando sobre os cupins da praia da Armação, eles fizeram férias conosco!
Era uma belíssima casa de madeira com ricos detalhes e uma área cercando toda sua frente. Lá então, a gente podia instalar as redes e deitar sobre elas para se espreguiçar. Era uma casa grande, com três quartos e uma cozinha grande.
Estava tudo muito bom, aproveitamos bastante o mar porque choveu pouco. O sol sempre foi nossa companhia.
Mas a casa, assim que nós a começamos a observar mais detalhadamente, descobrimos que estava minada de cupins. Gente, é inacreditável a quantidade de cupins que moravam naquela casa.
Em cada tábua, em cada nó, em todos os cantos para onde se olhava, via-se os cupins fazendo seu trabalho.
Quando a gente se deitava na cama, se via toda a função dos cupins: alguns sentavam ao redor de peqenas mesinhas de ferro jogando cartas, com uma cervejinha ao seu lado.Eles berravam e gritavam, era um movimento cheio de alegria. Junto deles tinha um mais velho que parecia ser seu chefe. Ele tinha ao seu lado um copo de cachaça e a cada pouco sorvia um gole. Ele até já se encontrava meio bêbado.
Eu comecei a observar o cupim mais velho. De repente, ele largou um brado, saindo dali e foi para casa. Quando chegou na parede onde era o seu buraco queria entrar nele mas ele não encontrou sua entrada. Então ele caiu ao chão e simplesmente adormeceu.
Os outros cupins continuaram jogando cartas. Era uma gritaria tamanha que não consegui dormir. Então olhei para o outro lado e vi um casal de cupins fazendo amor. Minha gente! Isto era um agito e um estardalhaço dos maiores. E eles não se importaram que eu os estava vendo. Os outros cupins passavam devagar por eles e nem os olhavam.
No dia seguinte, o tempo estava divinamente belo. O sol torrava do céu como se realmente quisesse nos devorar. Juntamos tudo para irmos ao mar: um isopor cheio de cerveja, uma cadeira, um óculos de sol preto para olhar escanteado as garotas e um guarda-sol. Eu tinha um belo e forte guarda-sol de estrutura de madeira. Então, nos sentamos de fronte ao mar sobre a bela areia branca. Abri o guarda-sol, sentei debaixo dele e abri uma latinha de cerveja.
Nós estávamos em plena conversação e observando as garotas argentinas. Elas tem uma bela cor de cuia, mas não tem bunda. Elas tem um gingado estranho quando caminham. De repente, olho para o chão, ... sabem o que vi? Vocês não vão acreditar: vi ali meia dúzia de garotas-cupins deitadas tomando banho de sol. Seus rapazes cupins também estavam sentados ali ao lado conversando.
Quando me dei conta, não tinha mais cabo de guarda-sol, os cupins haviam roído ele todo.
E, acreditem, tive que parar de escrever esta história porque os cupins estavam roendo o meu lápis.

Fonte: Andanças.
Leia Mais ››

Gaúcho macho no consultório do doutor - Causos de galpão

Mais grosso que parafuso de patrola o machão entrou na sala de espera do consultório médico declarando que seria o primeiro a ser atendido - e quem não gostasse que fosse reclamar pro bispo.

Dentro do consultório, o médico tentava pela vigésima vez agarrar a enfermeira. Quando a moça saiu esbaforida porta afora com o doutor correndo atrás, de cajado na mão, o susto na sala foi tão grande que o esculápio só souber perguntar:

- Quem é o próximo?

E o nosso machão, mui respeitoso: - Pois até nem sei, seu doutor. Cheguemo tudo meio entreverado!
Leia Mais ››

O gaúcho gavola - Causos de Galpão

Se você quiser pode ouvir ou baixar essa piada, clicando aqui!

O gauchão, passeando no Rio, entra num bar, acomoda-se numa mesa, chama o garçom, faz o pedido e fica se gabando:

- Olha só que bombacha, índio velho. Cento e cinquenta botão. Custou 50 mil. Tô mal de bombacha, hêin?!

O garçom ri amarelo, busca o aperitivo e na volta o gaúcho:

- Olha que bota, tchê! Toda sanfonada. Custou 40 mil. Mal de bota, hêin?!

Puto da cara, o graçom tá que não agüenta mais. Por sorte sua, um colega conhece o exibicionista e sabe coisas da família: - Chega no gaúcho, pergunta como vai a irmã dele e diz que ela é a maior piranha que você já conheceu.

Feita a sacanagem, o gaúcho continua impávido e, cofiando o bigode, brilha um pouquinho o olho e responde:

- Mas a Lindoca não puteia mais, seu. Virou freira e agora é esposa de Cristo Nosso Senhor.

E arremata: - Tô mal de cunhado, hêin?!
Leia Mais ››

A chegada do trem no campo - Causos e Galpão

No final dos anos quarenta, início de cinquenta, empenhava-se o exército brasileiro, com seu batalhão ferroviário, em completar a ligação de Porto Alegre a São Paulo. E os trilhos iam cortando os Campos de Cima da Serra na região de Vacaria em direção à Lages. E lá passavam pelos campos de grandes fazendeiros.

Pela fazenda da Jaguatirica, de propriedade dum tal de Herculano da Luz, cruzou o trilho em grande extensão. E o Dr. Herculano, que morava em Porto Alegre, determinou a construção de alambrados no decorrer da cerca, para proteger o gado, antes que chegasse o tal de trem.

Vindo de Porto Alegre, inspecionou o serviço e viu que não ia dar tempo: antes de terminar a cerca seria inaugurada a linha do trem! Então ele resolveu contratar diversos posteiros, para que, sabendo quais os rumos, os dias e horários em que o trem deveria passar, cuidassem de afastar o gado de perto dos trilhos.

Assim que, entre os posteiros, arranchou-se um tal de Chico Manco, tido como vadio e muito conversador. E, já na primeira viagem, deu-se a tragédia! Veio o trem e atropelou mais de uma dezena de cabeças de gado. Sabedor da má notícia, o Dr. Herculano foi aos fundos da fazenda tirar satisfações do Chico Manco:

- Mas como foi isso Chico?

E o posteiro, senhor de si, com a voz bem entonada explicou:

- Olha Dr... tivemo sorte!

- Como tivemos sorte?! Vem o trem e, na primeira viagem, lá se vão quinze cabeças de gado?!

- Tivemo sorte, Dr. Herculano, pois o bicho resolveu cruzá de cumprido! Pois se ele vem de atravessado não sobrava nem eu prá lhe contá a história.

Fonte: Causos do Boi Voador/Lisana e Paulo Bertussi via Página do gaúcho.
Leia Mais ››

Sangari - Dicionário Gaúcho

Você já possívelmente já ouviu ou falou a seguinte frase: Manhê! Faz um sangari que eu quero tomar!

Não ouviu? Bem, nem eu, mas quem me sugeriu que eu fizesse a tradução aqui no blog foi o Eloidemar Guilherme, então resolvi pesquisar o que significa, e encontrei na internet que no idioma Alicrinês (língua oficial de Alecrim-RS) Sangari quer dizer:

Sangari= Refresco para beber, Suco: Sinonimos Kisuco (também no gauchês)

Você quer que a gente traduz alguma palavra gaúcha aqui no blog? Comente abaixo dessa postagem.

Leia Mais ››

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Caborteiro - Dicionário Gaúcho

Em muitas músicas gaúchas você com certeza já ouviu a palavra "Caborteiro", hoje vamos explicar pra você o que significa. Caborteiro é o cavalo ou outro animal, manhoso, arisco, infiel, velhaqueador, que não se deixa pegar, mas também pode ser um indivíduo velhaco, esperto, manhoso, mau, mentiroso, trapaceiro, tratante, que vive de expedientes.

Veja um pequeno trecho da música "Coração Caborteiro":
Meu zaino tem seus limites
Na cerca do seu potreiro,
No entanto não há limites
Pra um coração caborteiro!
Leia Mais ››

Xerenga - Dicionário Gaucho.

Você já deve ter ouvido o palavra Xerenga e se perguntado. O que é isso? Será que a pessoa quis dizer siringa?
E la aparece na música "Da Estancia pra Venda" no trecho:
"Traga sal grosso e sabão para coceira e urna xerenga pra picar o meu crioulo*"
* O Crioulo é o fumo nesse caso.

Xerenga é uma palavra de origem africana muito usada no vocabulário gaúcho, e significa uma faca de uso diário, a faca que faz parte da vestimenta do gaúcho, que está sempre com ele, sempre na cinta mas não para ataque ou defesa mas sim para uso diário como picar fumo, castração, etc.
Pode se dizer também que é uma faca velha.
Leia Mais ››

Como você aproveita o seu tempo? Uma mensagem de reflexão


Como você tem aproveitado o seu tempo? Tem dedicado ele as pessoas que te amam e que você ama? É exatamente sobre isso que essa mensagem fala, uma breve reflexão sobre como você aproveita seu tempo.


Leia Mais ››

Maria passa na frente - Mensagem


Essa é uma linda oração para nós católicos. Ela contem palavras muito fortes que ditas com fé tem poder de mudar as coisas que não estão indo bem na sua vida e "esclarecendo" o que está escuro e você com seus "olhos humanos" não consegue ver, essa solução muitas vezes está pertinho de você.

Maria Passa na Frente

Maria, passa na frente e vai abrindo estradas, portas e portões, abrindo casas e corações.
A Mãe indo à frente, os filhos estão protegidos e seguem teus passos. Ela leva todos os filhos sob sua proteção.

Maria, passa na frente e resolve aquilo que somos incapazes de resolver. Mãe, cuida de tudo que não está ao nosso alcance. Tu tens poderes para isso.
Vai Mãe, vai acalmando, serenando e amansando os corações, vai acabando com o ódio, os rancores, mágoas e maldições.

Maria, vai terminando com as dificuldades, tristezas e tentações, vai tirando seus filhos das perdições. Maria, passa na frente e cuida de todos os detalhes, cuida, ajuda e protege a todos os seus filhos. Maria Tu és a Mãe também porteira. Vai abrindo o coração das pessoas e as portas nos caminhos. Maria, eu te peço, passa na frente e vai conduzindo, levando, ajudando e curando os filhos que precisam de Ti.
Leia Mais ››

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Praça Central - Música

Essa música eu fiz para minha namorada Katiane Meurer. A letra conta um pouco de como a gente se conheceu. Pois pra quem não sabe nos conhecemos através da internet, mais precisamente do Facebook, é uma história bem engraçada e esquisita mas é a nossa linda história de amor que até então vai de vento em popa graças a Deus.

Confira a Letra


O relógio tocou 12 vezes era meio dia
Um encontro marcado com alguém que eu nem conhecia
Mi vesti e sai, fui em rumo de outra cidade
Meu coração batia no peito de curiosidade.
Então eu cheguei, liguei pra você
E naquela praça, ia te conhecer.

Ref: E você chegou, tão linda, sorrindo pra mim.
E aquela ansiedade, de te conhecer teve fim
E o amor nasceu, no banco da praça central
uma linda história de amor, nossa história real.

Toda vez que eu passo naquela cidade tão linda
Lembro muito dos nossos momentos, saudade não finda
Sempre chego e procuro sentar naquele banco
A saudade não cabe no peito transformando em pranto.
E hoje eu cheguei, pra te esperar
Nosso reencontro nesse mesmo lugar.

Postagem e letra: Jaciabo Eccher
Leia Mais ››

Filho de Maria - Uma linda música com uma letra melhor ainda.

Eu particularmente gosto de músicas que trazem uma boa história ou mensagem em sua letra, essa sem dúvida é uma música fantástica que faz com que pensamos na vida. Se gostar comente logo abaixo dessa postagem aqui no blog.


Filho de Maria


Você sabe quem eu sou.
Adivinha seu (Dr.) Doutor.
De um pulo no passado, busca seu interior.
Quem tropeça, em tanta gente,
E até pisa em outros mais.
Não vai saber de repente quem será esse rapaz.

Se ainda não sabe quem sou,
Eu refresco a sua memória.
Numa madrugada fria, começava nossa história.
Uma moça, desvalida, dessas pobres de dar dó.
Lhe pediu uma carona, era frio e estava só.
O (Dr.) A socorreu, foi muita bondade até.
Mas cobrou um pouco caro.
Por um pão e um café.
Num hotel de quinta classe, minha mãe amanheceu.
Não estava mais sozinha,
Porque já existia eu.

Viajei naquele ventre, dia-noite noite-dia.
O nome dela o Sr. Não lembra.
Eu sou filho de Maria.
Não me chame de meu filho,
Que talvez não retribua.
Pois o pai que me educou, foi o mundo, foi a rua.

Nem pergunte por mamãe,
Ela mal me conheceu.
Pois por falta de um (Dr.)
No meu parto ela morreu.
Leia Mais ››

O veneno - Mensagem



 Essa mensagem fala um pouco do relacionamento em família, a dificuldade em aceitar a opinião da outra pessoa, a mania que temos de achar que nós é que estamos sempre certos e as outras pessoas erradas. O difícil convívio em família que na maioria das vezes falta diálogo e falta cada um ceder um pouquinho para o bem de todos.


Leia Mais ››

.